Notícias

Mais Notícias...

Perfil do Egresso do Curso de Enfermagem

     A concepção curricular do curso abre possibilidades para que o profissional tenha habilidades de atuar com conhecimento, experiência e pró-atividade, demonstrando autonomia, consciência da necessária interação com a comunidade, respeito pelo ser humano e atenção aos objetivos de seu trabalho, que são a promoção, a prevenção e a reabilitação em saúde, bem como a educação permanente.

     Enfermeiro, que trabalha com a ciência e a arte de cuidar do sujeito e da coletividade em todos os níveis de atenção à saúde, considerando suas necessidades a partir do meio sócio-histórico em que vive. Profissional generalista, humanista, crítico, pesquisador e reflexivo. Tem seu trabalho pautado no rigor científico e intelectual, nos preceitos éticos e na comunicação eficaz.
 
     Capaz de reconhecer, planejar, organizar, coordenar, implementar e reavaliar a assistência de enfermagem a sujeitos e/ou comunidade, para situação/problema e seus determinantes, tendo conhecimento do perfil epidemiológico regional e nacional, participando da equipe multiprofissional prestadora de serviços aos usuários do Sistema Único de Saúde.
 
Profissional comprometido com as necessidades efetivas e urgentes da comunidade, em todas as fases do ciclo vital, que age como facilitador da interação dos sujeitos com seu ambiente e promove o exercício da cidadania consciente.
 
     Está preparado para assumir serviços de gestão ou assistência em: unidades básicas de saúde, hospitais, ambulatórios, consultórios, clínicas, empresas, indústrias, creches e demais instituições de saúde. Atua também de forma autônoma, realizando atividades assistenciais e educativas em caráter domiciliar, individual e/ou coletivo, qualificando seu fazer dentro de uma comunidade que se transforma a todo tempo.
 
     Capacitado a trabalhar, a agir, a coordenar e a desenvolver práticas profissionais, assistenciais, de ensino e de pesquisa que promovem e produzem Enfermagem(s) e Saúde.
 
     Este perfil confere ao profissional enfermeiro postura transformadora em qualquer nível de desenvolvimento das políticas, programas e estratégias de saúde, atendendo aos princípios da universalidade, integralidade, equidade, solidariedade e hierarquização que constituem o sistema único de saúde.