Notícias

Mais Notícias...

Ações e meios

Para complementar a educação formal, o Curso conta com um conjunto de programas institucionais e atividades complementares que, articulados com o ensino de graduação, estimulam o desenvolvimento das atitudes desejáveis ao profissional. Estes programas e atividades complementares são:

a) Práticas Profissionais: as Práticas Profissionais I e II ocorrem obrigatoriamente em unidades de produção rural, devidamente conveniadas com a SETREM, sendo desenvolvidas por grupo de acadêmicos orientados por professor do Curso de Agronomia. De forma geral elas visam colocar os acadêmicos em contato direto com a realidade do setor produtivo, sobretudo permitindo o desenvolvimento de uma visão efetivamente sistêmica das unidades produtivas estudadas. A Prática Profissional I objetiva diagnosticar as diversas variáveis envolvidas no processo produtivo primário de uma propriedade rural considerando os aspectos sociais, econômicos, técnicos e ambientais; já, a Prática Profissional II objetiva analisar, com base nos conhecimentos desenvolvidos no decorrer do Curso, os dados diagnosticados na Prática Profissional I, construindo ações capazes de potencializar a propriedade estudada sob os aspectos sociais, técnicos, econômicos e ambientais. O Indicador das Práticas Profissionais encontra-se na íntegra no Apêndice B.

b) Estágio Supervisionado: através de convênios e contatos com empresas e proprietários rurais, a instituição viabiliza estágio curricular obrigatório para os acadêmicos no período letivo do 9º semestre. O estágio será realizado sob supervisão de um professor do Curso de Bacharelado em Agronomia da Faculdade Três de Maio e um Engenheiro Agrônomo do quadro funcional da concedente ou seu responsável técnico. O Manual de Estágios encontra-se na íntegra no Apêndice C.

c) Estágio Extracurricular ou Não Obrigatório: através de convênios e contatos com empresas e proprietários rurais, viabiliza estágio não obrigatório para os acadêmicos, tanto no período letivo quanto no período de férias. O estágio será realizado sob supervisão de um professor da Faculdade e um técnico da empresa. Especificações a respeito deste formato de estágio encontram-se também no Apêndice C.

d) TCC: como Trabalho de Conclusão do Curso o acadêmico deverá realizar um projeto de pesquisa relacionado às atividades agropecuárias de seu interesse com carga horária de 180 horas. Os resultados do trabalho deverão ser apresentados, na forma de monografia, à banca avaliadora e a atividade terá orientação e supervisão dos professores do Curso, seguindo os padrões do Manual de Metodologia da Pesquisa SETREM. Além disso, o acadêmico deverá apresentar os resultados obtidos no trabalho em eventos científicos da área ou afins. O Manual de Trabalho de Conclusão de Curso está explicitado na íntegra no Apêndice D.

e) PIPS: o Programa de Incentivo à Pesquisa na Faculdade Três de Maio – SETREM é destinado aos alunos de graduação que queiram atuar junto a projetos de pesquisa desenvolvidos com orientação dos professores da Instituição e está normatizado pela Resolução nº 20/06 do Conselho Departamental da Faculdade Três de Maio – SETREM.

f) NUAGRO: com o objetivo de desenvolver a pesquisa criou-se o Núcleo de Agropecuária e Agronegócios - NUAGRO, com as seguintes linhas de pesquisa: Fitotecnia; Gestão e Desenvolvimento Rural; Sistemas de Produção Animal; Agroenergia; e, Solo e Água

g) SAPS: o Salão de Pesquisa SETREM, evento com periodicidade anual, tem como objetivo promover, estimular e incentivar o desenvolvimento, socialização e publicação das produções científicas dos estudantes, professores e pesquisadores das diversas áreas da SETREM e de outras instituições.

h) Revista SETREM: construída pelo coletivo dos cursos da Sociedade Educacional Três de Maio - SETREM, ela é uma publicação de caráter científico, na qual são publicados os resultados de pesquisa das diferentes áreas. Sua periodicidade é semestral.

i) Monitoria:destinada a alunos que se destacam positivamente no curso, com o compromisso de colaborar nas atividades de ensino, pesquisa, e extensão de serviços à comunidade. A orientação é responsabilidade do professor do componente curricular objeto da monitoria, devendo esta ocorrer em conformidade com o previsto na Resolução 32/2011 do Conselho Departamental da Faculdade Três de Maio – SETREM.

j) PAEES: o Programa de Atenção aos Estudantes do Ensino Superior tem por objetivo proporcionar espaços de acolhida e encaminhamento aos estudantes dos Cursos de Graduação da Faculdade Três de Maio e Cursos Técnicos Noturno. O Programa prevê atendimento aos estudantes, sobretudo, no que se refere às dificuldades emocionais, cognitivas e sócio-econômicas, a partir de vivências grupais e individuais. Assim, questões associadas à dificuldade de aprendizagem, aconselhamentos e, até mesmo, o acesso às principais alternativas para o financiamento estudantil estão contempladas no PAEES.

k) Dias de Campo:com a finalidade de levar os resultados das pesquisas desenvolvidas para a sociedade, principalmente, para os produtores rurais, discentes, docentes e profissionais da área, são realizados anualmente dias de campo nas áreas de culturas regionais de inverno, culturas regionais de verão, pecuária, horticultura e milho e girassol. Cabe salientar que os projetos de pesquisa desenvolvidos para contextualização das estações dos dias de campo constituem-se rico ambiente de estudo e aprendizado aos discentes.

l) Seminário de Agronomia: evento com periodicidade anual e duração de cinco turnos (20 horas) no qual os acadêmicos do curso de agronomia e profissionais da área buscam a atualização e discussão crítica das novas tecnologias do setor agropecuário.

m) Fórum de Nutrição Animal:evento anual objetivando divulgação e debate de tecnologias relativas à nutrição de diversas espécies animais, tais como: bovinos de corte e leite, suínos e aves. O Fórum é efetuado em parceria com diversas empresas da área de nutrição animal, tais como: Nutron Alimentos, Agroceres Multimix e Camera Agroalimentos.

n) Seminário do Agronegócio:evento anual que objetiva discutir e informar a respeito de políticas agrícolas, expectativas de mercado para os diversos produtos gerados pelo setor primário e influência dos fatores climáticos sobre o mesmo.

o) Parcerias em pesquisa: a SETREM mantém várias parcerias para o desenvolvimento de pesquisas, sendo mais expressivas as firmadas com a EMBRAPA Trigo, EMBRAPA Clima Temperado, EMBRAPA Milho e Sorgo, COTRIMAIO e EMATER/RS (estas duas últimas parceiras na promoção dos dias de campo da instituição). Também se constituem parceiras eventuais as empresas CCGL TEC, COODETEC Biotrigo, Agroceres, Morgan, Pioneer, Dekalb, Monsanto, entre outras, as cooperativas COTRIROSA, COOPERMIL, COOPEROQUE, COMTUL, COOPERVINO, NOVOCOOPER, além de instituições de ensino como a UFRGS, UFSM, UFPEL e UPF.

p) Laboratório de Análise de Solos: tem como funções o apoio às atividades de ensino, pesquisa e extensão do curso de Agronomia da SETREM além da prestação de serviços a agricultores e empresas do setor agropecuário da região noroeste do Estado do RS. O objetivo maior é avaliar a composição e o estado da fertilidade do solo através de análises físicas ou granulométricas e químicas com emissão de laudos. Sua estrutura física é composta de uma área de 90 m2, dividida em salas de recepção, preparo e secagem de amostras, extração e determinação dos elementos. Conta com funcionárias treinadas, com formação superior em química, e com responsabilidade técnica de um engenheiro agrônomo. O laboratório conta com aparelhos modernos e calibrados, incluindo espectrofotômetro de absorção atômica, o qual permite determinação de análises básicas e de micronutrientes do solo. No laboratório também se efetua análise granulométrica (textura) dos solos. A metodologia analítica utilizada para a determinação dos elementos químicos segue a recomendação da Rede Oficial de Laboratórios de Análises de Solo para os Estados do RS e SC–ROLAS, sendo que o laboratório possui selo de qualidade emitido anualmente pela Rede.

q) Laboratório de Análise de Sementes: credenciado junto ao RENASEM (MAPA), o laboratório de sementes do Curso de Agronomia da SETREM possui instalações e equipamentos apropriados, bem como, profissionais experientes e qualificados para a realização, interpretação e apresentação dos resultados analisados, com base na RAS e na NBR ISSO/IEC 17.025, visando atender às demandas dos controles oficiais do MAPA. Sua área física está dividida em sala de recepção/protocolo, arquivo de amostras, sala de análises e câmara de germinação. Está credenciado para realização de análises de pureza, testes de germinação, testes de tetrazólio, vigor e peso de mil sementes de 30 espécies vegetais. Além de servir de contexto para aulas e apoiar ações de pesquisa presta serviços aos produtores da região.

r) Laboratório de Microbiologia e Fitopatologia: tem por finalidade a visualização dos organismos microscópicos e realização de técnicas de coloração, técnicas de inoculação, provas bioquímicas e demais atividades pertinentes. Conta com espaço físico de 44,70 m2, dividido em três ambientes: sala de aula prática de microbiologia (com acomodações para 25 estudantes, contador elétrico de colônias, microscópios binoculares, microscópio binocular com câmera de vídeo, estufas bacteriológicas, bancada para coloração gram e bancada para inoculação); sala de lavagem e esterilização (contendo autoclave, geladeira e estufa de esterilização); e, sala de preparação de meios de cultura e inoculação (contendo um armário e um balcão com pia). Conta com rede elétrica, lógica, hidráulica, tubulação de gás e revestimentos de piso e paredes de acordo com as especificações para este tipo de laboratório.

s) Laboratório de Química e Bioquímica: conta com espaço físico de 44,70 m2 e está dividido em três ambientes: sala de aula prática, sala de lavagem e sala de preparo de soluções. Está equipado com bancadas para os estudantes e professor, providas de sistema de gás, armários, balcão, pHmetro, centrífuga, dessecador, balança analítica, bateria de extração de 6 provas, determinador de umidade, fotômetro de chama, espectrofotômetro, refratômetro e condutivímetro de bancada, capela de exaustão de gases, vidraria e reagentes.

t) Laboratório de Física:possui espaço de 71,5 m2, capaz de acomodar 50 estudantes, servindo de meio para o desenvolvimento de aulas experimentais, de pesquisa de dados, para análise qualitativa e quantitativa de dados. Nas aulas experimentais são ministradas práticas de física sobre mecânica (estática e dinâmica), termologia e termodinâmica, eletricidade, magnetismo, eletromagnetismo, circuitos de correntes contínuas e alternadas, ótica geométrica e ótica física e sobre eletrônica básica. Possui conjunto mestre de Física Geral, conjunto para troca de calor, conjunto de experimentos para hidrostática, kit de magnetismo, banco óptico linear Kissmann, banco ótico Santana, painel de forças standard com hastes e tripés, dilatômetro linear Cabral digital, colchão de ar linear para computador com sensores e software, plano inclinado completo, conjunto de mecânica – ARETE, calorímetro de água didático, gerador eletrostático de correia Van de Graff.

u) Agroindústria:laboratório próprio de transformação de produtos agropecuários de origem animal e vegetal, com três unidades: leite, vegetais e cárneos, gerando mais de 40 produtos industrializados.

v) Escola-Fazenda: ambiente propício para práticas de campo (rotação de culturas, semeadura, tratos culturais, vistoriais e colheitas), sobretudo relacionadas a plantas de lavoura. Conta com uma área total de mais de 160 hectares e área cultivada de aproximadamente 120 hectares (o restante constitui-se Área de Preservação Permanente – APP). Além da condução de experimentos de cultivos regionais, nela são cultivadas, de forma extensiva, as culturas de soja, milho, painços (comum, verde e português), girassol (óleo, alto oléico e confeiteiro), sorgo, trigo, aveia branca, aveia preta, centeio, azevém, canola, linho, solin, ervilhaca, nabo forrageiro, ervilha, triticale. Conta com dois tratores, duas semeadouras, espalhador de fertilizante a lanço, pulverizador, colheitadeira, além de pequeno classificador de grãos. Algumas vezes ocorrem aulas conjuntas de diversos componentes curriculares no ambiente das culturas instaladas (por exemplo, envolvendo os componentes curriculares: plantas de lavouras, fitopatologia, entomologia, máquinas agrícolas e tecnologia de aplicação de defensivos agrícolas), gerando uma ação interdisciplinar ‘in loco’ nas lavouras. Na Escola-Fazenda também existem (introduzidas nas APPs) doze caixas de abelha para fomento à polinização das culturas e produção de mel.

w) Área de Pesquisa SETREM: este amplo ambiente conta com aproximadamente cinco hectares para experimentos (onde são executados muitos projetos de pesquisa e instalados ensaios para apresentação nos dias de campo), com um tambo (tendo, em média, 45 animais em lactação), com aproximadamente vinte e um hectares de pastagens e cultivos para geração de feno e silagem, com uma horta, com um pomar, cinco aviários (um com aves de postura e quatro com aves de corte), uma pocilga, uma área delimitada para criação de ovinos e uma pequena construção para criação de coelhos.

x) Cultivo em ambiente protegido: o ambiente é composto por três estufas, sendo que em uma delas são cultivadas flores para jardins e geradas mudas diversas por estaquia, em outra ocorre cultivo hidropônico e cultivo de plantas de lavoura em vasos para análise de deficiências nutricionais, de fisiologia dos vegetais e melhoramento genético (práticas de cruzamentos genéticos). Na terceira estufa são cultivadas flores de corte e algumas culturas olerícolas.

y) Viagens de Estudo: no transcurso dos componentes curriculares, muitas são as viagens de estudo efetuadas, podendo se citar como destaque a viagem para reconhecimento dos tipos de solos do Estado do Rio Grande do Sul, visitas às unidades de produção de peixes, suínos, gado leiteiro e de corte, fruticultura, silvicultura, floricultura, etc. Também são efetuadas visitas a abatedouros, Unidades de Beneficiamento de Sementes, empresas de produção de sementes, de aviação agrícola, de produção de máquinas agrícolas, entre outras.

z) Salas de aula: as salas de aula do Curso de Agronomia da SETREM estão localizadas no Prédio 5 e no Prédio 9, contando todas elas com computador, quadro branco, aparelho multimídia, cadeiras estofadas e ar condicionado.

aa) Biblioteca: conta com significativo acervo, num total de 25.088 títulos e 37.347 exemplares. Disponibiliza aos acadêmicos, dez salas específicas para estudos e trabalhos desenvolvidos em grupo. Também disponibiliza quatro computadores para pesquisason line, além de bancada específica para acesso à internet pelos computadores pessoais dos acadêmicos. Conta com serviço on line ao catálogo da biblioteca, permitindo efetivação de reservas, renovações e consulta.

bb)Interdisciplinaridade:a interdisciplinaridade é uma preocupação do Curso, ocorrendo em aulas desenvolvidas em conjunto por diversos componentes curriculares (conforme citado no item r), em algumas viagens de estudo e, sobretudo, nas atividades das Práticas Profissionais I e II, onde os diversos conhecimentos construídos se cruzam e apresentam sinergia, além de fomentar aos acadêmicos a visão sistêmica das unidades de produção rural. As pesquisas desenvolvidas tanto na Escola-Fazenda como na Área de Pesquisa SETREM também são contempladas com ações envolvendo diversos componentes curriculares.

cc) Flexibilidade: o currículo do Curso está organizado de formaa possibilitar aos acadêmicos cursar componentes curriculares de diversos semestres concomitantemente. Como alguns estudantes que trabalham durante o dia não têm conseguido liberação de suas atividades para cursarem os componentes curriculares ofertados às sextas-feiras à tarde, a partir do segundo semestre do ano de 2012 passou a se ofertar estes componentes nas quintas-feiras à noite (dias em que o sétimo e o oitavo semestre não têm aulas), trazendo para as tardes de sextas-feiras as disciplinas que ocorriam nas noites das trocas. Para não ocorrer prejuízo quanto à qualidade das aulas no que tange à necessidade de desenvolvimento de práticas, ao início do semestre são programadas trocas/inversõesdas aulas de quintas-feiras à noite com aulas dos componentes curriculares desenvolvidos normalmente nas sextas-feiras à tarde (acadêmicos conseguem liberações eventuais das empresas em que trabalham) e sábados. Considerando um total de noventa e seis componentes curriculares (entre obrigatórios e eletivos) constantes na grade curricular do Curso, cinquenta e cinco deles (representando 57,3 %) não apresentam pré-requisitos, possibilitando aos acadêmicos, em grande parte, organizar seus estudos conforme suas demandas ou interesses.